quarta-feira, 7 de novembro de 2012

2

A DOUTORA Carla Cepollina foi absolvida pelo tribunal do júri



"Quando a Sociedade se Cala a Impunidade Ganha voz....mas e quando a SOCIEDADE dá VOZ À IMPUNIDADE?!

Penso que foi o que aconteceu hoje (07/11/2012), quando a Sociedade, representada na figura dos 7 jurados, decidiu pela absolvição da DOUTORA Carla Cepollina!

A advogada Carla Cepollina, de 47 anos, foi absolvida nesta quarta-feira da acusação de ter assassinado o coronel Ubiratan Guimarães em 2006. O júri, realizado no Fórum da Barra Funda, em São Paulo, entendeu que as provas apresentadas pelo Ministério Público contra ela foram insuficientes.

Recebi surpresa a decisão dos jurados, pois a mim não restaram duvidas de que as provas apresentadas a colocava na cena do crime! Eu, e as amigas de luta; Valquíria Marques e Lucilene Isabel acompanhamos os 3 dias do julgamento e estávamos confiantes na condenação...

Parabenizamos o digníssimo promotor João Carlos Calsavara e o ilustre advogado Vicente Cascione por suas brilhantes atuações, ainda que não tenham conseguido o resultado esperado....à busca por Justiça!!!

A mim não restou duvidas sobre a autoria do crime e os motivos que a levaram praticá-lo...mas todos sabemos que existe muita coisa por trás disso e manda quem pode e obedece quem tem juízo!

Quanto aos jurados, creio que se deixaram intimidar pela atuação da DOUTORA que praticamente conduziu o júri no 2º dia do julgamento e talvez tenham se sentido impotentes para colocar atrás das grades uma "DAMA", tão requintada,
como aquela que desfilava pelo plenário...ainda que ali deveria estar na condição de ré.

Mas deixo algumas perguntas para os jurados refletirem:

- Como o coronel poderia ter enviado as duas mensagens para a Dra. Renata, (motivo da briga do casal naquela noite) se o celular estava na sala e a DOUTORA Carla Cepollina foi quem o levou para ele, no quarto, atender o chamado da Dra. Renata, minutos depois dessa ter recebido as  mensagens?


- A defesa lançou a duvida de que o crime poderia não ter sido praticado no sábado, devido SOMENTE 3 vizinhos terem ouvido o barulho, que poderia ter sido de um tiro, no horário em que a DOUTORA estava no apartamento do coronel, porém...o coronel foi morto ali e o tiro foi disparado...mas no domingo, dia que a defesa alega ser o dia do crime NINGUÉM ouviu barulho semelhante a tiro no local.

- Por que será que depois do horário que a DOUTORA saiu do apartamento do coronel (sábado à noite) esse não manteve mais contato nenhum com o mundo...nem fazendo e nem recebendo ligações, até que seu corpo fosse encontrado na noite do domingo ?

- E não estranharam o fato de uma mulher tão apaixonada, como a DOUTORA não ter ido com os filhos do coronel e amigos no apartamento dele, quando foi levantado a suspeita de que algo poderia ter lhe acontecido, visto que não conseguiam contato com ele o domingo todo? A resposta dela foi que não a deixaram acompanhá-los...Tah...conveniente né ?! Eu pegaria meu carro e iria atrás...ninguém me impediria de saber o que estaria acontecendo com o homem que amo, diante da suspeita de que algo de ruim poderia ter lhe acontecido!!!

- E acreditam mesmo que numa casa de alto nível, onde tem uma pessoa encarregada para a limpeza das roupas, a ré tiraria e deixaria de molho, somente a roupa usada no dia do crime? Será que é mesmo de praxe o costume da DOUTORA todas os dias chegar em casa, tirar a roupa usada e colocá-la de molho, mesmo tendo empregada?


Enfim, se conseguirem responder as perguntas durmam com as consciências tranquilas, do contrário, tenham a certeza de que colaboraram para que mais um crime ficasse IMPUNE.

Links Relacionados:

Caso Carla Cepollina perto do fim...que a Justiça seja feita


Prepotência e Irreverência marcam o julgamento de Carla Cepollina


2 comentários:

  1. Dr.João Carlos Calsavara temos certeza que fez tudo para condena-la, e que as barreiras foram enormes para reverter este processo muitas coisas que não puderam aparecer ficaram anonimas como os pingos nos ii como ela própria disse e não saberemos nunca, mas eu acredito sim que o passado do coronel Ubiratan pesou muito,acredito também que o sentimento de mãe defendendo a filha.Um coronel que deixou de ser vitima e passou a ser réu num julgamento cheio de liberdade só poderia inocentar a DOUTORA Carla Cepollina que bateu de frente até com o Juiz falando tudo que queria e com o aval dele próprio.Também foi estranho que e um juri formado por 6 homens e apenas uma mulher tenha este resultado.
    Leigos quem sabe...mas inteligentes demais para lembrar o passado do coronel Ubiratan

    ResponderExcluir
  2. O promotor João Carlos Calsavara e Vicente casione fizeram o que foi possivel,O sr. promotor reverteu um caso quase impossivel,provas cientificas ,mas os 6 anos trabalhados na cabeça de uma pessoa inteligente como Carla Cepollina, deu muito tempo para vir com respostas na ponta da lingua, e por ser filha e tb advogada, conhecendo bem o processo sabia bem qual as respostas que a tiraria do foco principal que era os torpedos que pra mim foi muito bem bolado,Um torpedo pode sim chegar no outro dia, isso ja aconteceu com meu celular e a prova que tenho é a reclamações que faço sobre isso sempre acontece, pelo menos essa certeza eu tenho pq não desligo o celular e só voltam ao normal quando reclamo para a operadora.

    ResponderExcluir