segunda-feira, 18 de maio de 2015

0

Dormindo com a inimiga, mulheres dissimuladas e assassinas

Arte: Solange Vieira 

Por Solange Vieira 


MATAR, MATAR e MATAR, tem sido o verbo conjugado por vagabundas de plantão, tais como:


CRISTIANE RENATA COELHO - que assassinou o filho e tentou matar o marido, o subtenente do Exército Francileudo Bezerra Severino, em 11/11/2014.

CLAUDENIA DA SILVA RODRIGUES, que juntamente com amante assassinou o ex-marido, Antônio Rivadávio Teixeira Moreira, em março de 2015, ambos os casos em Fortaleza e,

CRISTIANA OSÓRIO CERQUEIRA, esposa do tenente-coronel Sérgio Murilo Cerqueira, este, executado com um tiro na nuca, por bandidos contratados por ela e por sua irmã, em 15/5/2015, em Brasília.

Todos esses casos, apenas uma motivação: DINHEIRO.

Embora tenham planejado os crimes em minudências, foram desmascaradas e agora estão PRESAS.

Todas elas agiram covarde e cruelmente, sem qualquer chance de defesa para as vítimas. Então, pergunto : é o momento ou não de promover uma revisão na legislação brasileira para tornar as penas mais duras em casos dessa espécie?

É momento de se acabar com tantos benefícios como:

►Remissão da pena: a pena diminui em 1 dia há cada três dias trabalhados (é preciso apresentar atestado de realização do trabalho).

►Detração da pena: o tempo em que o indivíduo ficou preso antes do julgamento (prisão em flagrante, prisão preventiva, prisão temporária e pronúncia) devem ser contabilizado como tempo de pena cumprida.

►Saída temporária: aqueles que cumprem pena em regime semi-aberto, apresentam bom comportamento e já cumpriram 1/6 da pena, nos casos de réus primários e, 1/4 nos casos de reincidentes têm direito à saídas temporárias. Para visitar a família são concedidas até 5 saídas de até 7 dias por ano, que em São Paulo ocorrem nas seguintes datas: Natal/Ano Novo, Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais e Finados. Existe ainda a possibilidade de saída temporária para freqüentar curso profissionalizante, segundo grau ou faculdade.

►Progressão de regime: a mudança de um regime mais restritivo para outro mais leve apenas pode ocorrer após o cumprimento de 1/6 da pena, nos casos nos quais o preso apresenta bom comportamento, controle da agressividade e desenvolva trabalhos na prisão.

►Livramento condicional: terá direito à liberdade antecipada presos que apresentem boa conduta, desenvolvam trabalhos na prisão e tenham cumprido 1/3 da pena nos casos de réus primários, 1/2 da pena para reincidentes e 2/3 para condenados por crimes considerados hediondos. O indivíduo sob liberdade condicional deve obter um trabalho, comunicar sua ocupação e não mudar de comarca sem autorização. O juiz pode ainda determinar que ele deva estar em casa em um determinado horário e não freqüente determinados lugares.

►Indulto ou Comutação de Pena: anualmente o presidente do país publica um decreto com o objetivo de perdoar ou reduzir a pena daqueles que estão presos, desde que não tenham sido condenados a crimes hediondos e que preencham determinadas condições expressas no decreto (tempo de sentença, idade, tempo de pena já cumprida, portador de deficiência ou doença grave).

Enquanto for essa a "Cartilha", enquanto a Mamãe Justiça" continuar mantendo os criminosos no colo, PENALIZADAS apenas, as vítimas e seus familiares.

E o bordão que aqui cabe perfeitamente: ISSO É UMA VERGONHA!

Esses três tristes e revoltantes casos estão sendo acompanhados pelo Grupo Justiça é o que se Busca, pois bem sabemos que "Quando a Sociedade se cala a Impunidade ganha voz" (Sandra Domingues)

Nenhum comentário:

Postar um comentário