segunda-feira, 4 de maio de 2015

0

Ministério Público do Ceará apresentou a denuncia contra Cristiane Renata Coelho, prisão é iminente

Arte: Solange Vieira

Caso subtenente: Ministério Público ingressa com denúncia contra ex-esposa do militar

Esperamos que, diante do indiciamento da polícia e pronuncia do Ministério Público, o juiz competente decrete a prisão da mesma e a assassina aguarde o julgamento presa. 


Cristiane Renata Coelho foi indiciada pela polícia por matar um dos filhos do casal e tentar assassinar o marido, por homicídio e tentativa de homicídio triplamente qualificados

Após quase seis meses da morte por envenenamento do pequeno Lewdo Ricardo, o Ministério Público do Estado do Ceará vai apresentar nesta segunda-feira (4) denúncia contra Cristiane Coelho, ex-esposa do subtenente do Exército Francileudo Bezerra Severino.

Ela foi indiciada pela polícia por matar um dos filhos do casal e tentar assassinar o marido, e deve responder por homicídio e tentativa de homicídio triplamente qualificados. O promotor de Justiça Humberto Ibiapina, autor da denúncia, concederá entrevista coletiva nesta tarde, na 3ª Vara do Júri, no Fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza.

Cristiane Coelho está em Recife desde novembro, logo após o crime, ocorrido na madrugada de 11 de novembro. Ela morava em Fortaleza com o marido e os dois filhos, ambos autistas, no Conjunto Napoleão Viana, Bairro Dias Macedo. Lewdo Ricardo tinha 9 anos e foi envenenado com ‘chumbinho’.

A polícia acredita que Cristiane quis matar o filho por ele apresentar um grau de autismo elevado e sem progresso. A tentativa de assassinato do marido ocorreu para incriminá-lo e, assim, ela se livrar da culpa. Dessa forma, como viúva, ainda ficaria com a pensão do marido, além do seguro de vida. A guarda do filho mais novo do casal, Lucas, foi concedida ao militar pela juíza Ana Paula Feitosa Oliveira, da 16ª Vara da Família, no dia 24 de abril, após o inquérito policial apontar a inocência de Francileudo.

“Está tudo tranquilo. Ele já está aqui agarradinho comigo. Como fazia tempo que não nos víamos, ele tomou um susto, mas logo agarrou em mim. Eu comecei a chorar”, revelou. O subtenente acredita que Lucas ainda não compreende a gravidade do caso, por causa da idade. “Ainda bem que poupa ele desse momento triste”.


Inicialmente as investigações apontavam que Francileudo teria envenenado o filho e a mulher, e depois tentado o suicídio. Posteriormente, o laudo médico sinalizou que somente o militar e o garoto ingeriram chumbinho, enquanto Cristiane tomou tranquilizante. Com isso, a esposa passou a ser considerada a principal suspeita.

Em dezembro de 2014, o casal ficou frente a frente durante acareação e reconstituição. Na ocasião, Cristiane declarou que tinha um amante, morador do Recife. Francileudo, que chegou a entrar em coma e ficou internado durante um mês, no Hospital Geral do Exército, tinha um seguro de vida que pagaria R$ 153 mil em caso de morte. O filho também tinha um seguro, cujo valor da apólice não foi divulgado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário