sábado, 27 de novembro de 2010

1

Caso Fernanda Venâncio Ramos - Brasil Urgente (Datena)


Fernanda Venâncio Ramos, 17 anos, foi a segunda vítima do Serial Killer que sequestrou 5 estudantes em Teresópolis. As vítimas eram sequestradas da porta do Colégio Edmundo Bitencourt na troca de turno entre 12 e 13 horas, sempre as 4ª feiras, mantidas em cárcere privado, estupradas, estranguladas com seus próprios cadaços e seus corpos deixados entre objetos de magia, seguindo o ritual dos 5 elementos (Madeira, Terra, Fogo, Água e Metal) em um pentagrama invertido.

Duas das Vítimas sobreviveram e reconheceram em Juízo o agressor. Ele foi preso, mas liberado pela Justiça para aguardar julgamento, o que as famílias esperam há 10 anos. D (14) e S(19) sobreviveram; porém, Iara(14), Fernanda Venâncio Ramos (17), Claudia (15) foram mortas de forma brutal e encontradas mortas ainda de uniforme.

Memorial Gabriela Sou da Paz:
Fernanda Venâncio Ramos

Nossos agradecimentos a TV Bandeirantes, a Maíra Rubim que foi a pessoa que nos contatou para fazer a entrevista com a Sônia Ramos, ao Fábio Barreto pela excelente reportagem, riquíssima em detalhes, apesar do pouco tempo de entrevista e ao Datena pela exibição da matéria.

Precisamos chamar a atenção das autoridades para esse caso Macabro que está Impune há 10 anos e não podemos aceitar que seja apenas mais um para o rol da IMPUNIDADE, como está sendo até então, assim como o caso do pequeno Pedro Henrique Marques Rodrigues, o Pedrinho, que aguardamos também há 2 anos e 5 meses por Justiça!

Precisamos mostrar para a Sociedade esse caso macabro, pois a Sônia não luta apenas por Justiça para sua filha Fernanda Venâncio Ramos e para as outras 4 vítimas do maníaco...luta também para que novas vítimas não aconteçam. 
Com esse maníaco solto são as nossas jovens e crianças que estão em risco e não podemos fechar os olhos e cruzar os braços.

Queremos JUSTIÇA por Fernanda, por Pedrinho

por Mércia Nakashima, Sophie, Joanna, Aryane Thais, Allan Barbosa, Aidir Pinagé, Anastácio Cassaro, Gustavo Russo,...enfim, queremos que a JUSTIÇA seja igual para todos!
Queremos que as leis sejam cumpridas, sem brechas que favorecem mais aos assassinos do que as famílias vítimas de violência.

Um comentário: