quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

0

Agora é CADEIA...Cadeia para o Sergio Brasil Gadelha


AGORA É CADEIA...CADEIA PARA O GADELHA

Por Sandra Domingues, com informações do Estadão.

A 6ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) revogou na tarde desta quinta-feira, 30/01/2014, por 2 votos a 1, a prisão domiciliar do assassino confesso, o advogado Sergio Brasil Gadelha, de 74 anos, acusado pelo homicídio da namorada Hiromi Sato, de 57 anos, em 20 de abril de 2013, no apartamento do casal, em Higienópolis, região central da capital. 

Por ser advogado, ele terá que cumprir a prisão preventiva em uma sala de Estado maior - ambiente específico para autoridades. Caso não haja uma instalação compatível, Gadelha poderá voltar para a prisão domiciliar. O acórdão foi dado depois de um recurso do Ministério Público Estadual (MPE) contra a decisão de primeira instância que concedeu a prisão domiciliar para o acusado. Segundo o TJ-SP, o acusado não apresentava os requisitos para ter esse benefício.

Pelo menos aguardará o julgamento preso na cadeia, terá regras, ordens e horários para cumprir e vai parar de debochar da cara da família e da sociedade. 

Familiares, amigos de Hiromi Sato e integrantes da ONG Justiça é o que se Busca lotaram o plenário para assistirem a audiência. Quando a decisão foi lida, as pessoas que ocupavam a plateia se levantaram e aplaudiram de pé.

Amanhã (31/01) às 13h no Fórum da Barra Funda acontece a última audiência de instrução, ocasião em que o réu será interrogado e a partir daí o juiz decidirá se pronuncia ou não esse VERME à Júri Popular.

Nosso carinho, apoio e solidariedade à família de Hiromi; aos irmãos e queridos amigos de luta: Tomi Satow, F Umi Sa e Sato Norio.


Crime:

O Ministério Público denunciou o acusado por homicídio com três qualificadoras: motivo torpe, emprego de meio cruel e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, "efetuando manobras asfixiantes e desferindo, violentamente, diversos golpes contra a companheira que culminaram na morte dela", segundo o texto.

O advogado confessou que bateu na mulher e que chegou a utilizar um cinto. Depois, asfixiou Hiromi. Gadelha afirma que dormiu com a vítima e que, na manhã seguinte, ela chegou a interagir com ele, ao não aceitar a comida que ele oferecia.

LUGAR DE ASSASSINO É NA CADEIA...CADEIA PARA O GADELHA!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário